Header image  

No Dia mais Claro, Na Noite Mais Densa, O Mal Sucumbirá Ante A Minha Presença

Todo O Que Venera O Mal Há De Penar, Quando O Poder Do Lanterna Verde Enfrentar!

 
line decor
    ::  
line decor
   
 
INIMIGOS RELACIONADOS

 
  KRONA

IDENTIDADE E HABITAÇÃO: de ascendência oana, Krona não habita mais no mundo físico, mas preso entre as dimensões devido a sua altíssima periculosidade.

PODERES: poderes ilimitados. Krona utiliza seus poderes originais oanos sem limitação. Capaz de extinguir diversos universos inteiros.
ÚLTIMO DESTINO:
CONFRONTOS: 1º confronto: GREEN LANTERN 40 - 1965: derrotado pela ação conjunta de Alan Scott e Hal Jordan e banido para a forma energética pelos Guardiões.
HISTÓRIA:

Há 10 bilhões de anos atrás, Krona era um membro da antiga raça dos maltusianos, imortais humanóides de pele azul do planeta Maltus(de onde mais tarde um grupo emigraria para Oae se tornaría os Guardiões do Universo). Ele era um cientista obcecado em observar a orígem do universo, apesar de uma advertência de que se alguém descobrisse os segredosda orígem do Universo causaria uma grande calamidade. Krona criou uma máquina que lhe permitiu ver o momento da criação. De alguma forma, sua experiência interrompeu o processo de criação, com conseqüências terríveis. As conseqüências exatas foram reescritas ao longo dos anos, mas originalmente, era o desencadeamento do mal em si no universo. Mais tarde, descobriu-se que desencadeou também na criação do universo de Antimatéria e da antítese de Oa, Qward. Após ignorar veementemente os avisos de seus colegas cientistas, sua máquina acessou a fenda temporal e surgiu a imagem de uma mão gigantesca segurando uma galáxia na aurora dos tempos. Naquele instante, um raio cósmico destruiu a máquina, e teria matado Krona se ele não fosse praticamente indestrutível.

Durante a Crise nas Infinitas Terras, também foi revelado que isso foi a causa da existência de todos os universos paralelos do Multiverso; Vários vilões foram enviados de volta no tempo para impedi-lo, mas foram derrotados por Krona e os outros oanos. Também foi revelado de que a mão misteriosa que Krona vira era uma manifestação energético-temporal do Antimonitor.

Krona foi julgado por seus colegas maltusianos e condenado a existir em uma forma de energia, sempre vagando pelo universo. Os maltusianos, sentindo-se culpados por não terem detido Krona em tempo, divididos quanto a forma de lidar com os resultados, dividiram-se em vários grupos, como os Guardiões do Universo, os Controladores e as Zamaronas, permanecendo apenas os maltusianos menos influentes no planeta nativo. No entanto, diversas vezes Krona escapou desse destino e tentou iniciar seu experimento novamente, já que a máquina original tinha explodido antes que pudesse terminar de assistir o resto da criação do Universo. Foram os atos de Krona que inspiraram os Guardiões do Universo a tentar criar uma força policial intergalática, que culminaram na criação da Tropa dos Lanternas Verdes.

Na 1ª vez que tentou escapar, sob a forma de um cometa, vagava pelo universo paralelo da Terra-2 quando foi colhido pelo anel energético de Alan Scott. Intencionalmente fez seu anel agir de forma diferente, para que este fosse buscar auxilio com Hal Jordan na Terra-1. Naquele universo, ele se revelou, tentando controlar os Guardiões. Contudo, foi enfrentado por Hal Jordan e em seguida detido pelos Lanternas Verdes das Terras, Hal Jordan e Alan Scott. Libertos de seu controle, os Guardiões o baniram para uma forma de energia novamente.